19 Fev 2019 363
Fernanda Meneguetti Devorável
#carnaval #dicas #eventos

Carnavalizar no Rio em 2019

Aprenda com os cariocas a aproveitar o feriado mais famoso na cidade

Boa parte do ano, os brasileiros só querem fugir do estereótipo "Brasil país do Carnaval”, porém, a cada ano que começa, ele é onipresente : muitos negócios só são fechados após a Quarta-feira de Cinzas, os blocos (agrupamentos populares dos mais variados) invadem as ruas, as feijoadas com samba se tornam programa concorrido e, sim, assistir ou mesmo acompanhar pela TV os desfiles na Marquês de Sapucaí faz parte das tradições.

Falando neles, a primeira escola de samba foi criada no Rio de Janeiro, no final da década de 1920. Era a Deixa Falar, que se tornou a Estácio de Sá. De lá para cá, centenas de escolas surgiram, movimentando o sambódromo carioca e dando vida a um fetiche: assistir tudo de camarote.

O mais lendário, o Camarote da Brahma, exclusivo para poucos e bons convidados, converteu-se no Camarote Nº1, que funciona apenas nos dias do Grupo Especial (domingo e segunda de Carnaval) e no Desfile das Campeãs (no sábado seguinte). Um convitinho não sai por menos de R$ 2.200 para mulheres e R$ 2.600 para os rapazes. Caro ? Sim, mas os ingressos sempre esgotam. Ou seja, se tiver interesse, já é hora de adquiri-los !!

Foto: RioTur. Elisangela Leite
Por sorte, há diversões menos salgadas e igualmente animadas. No próximo sábado (23 de fevereiro), por exemplo, a orla de São Conrado se agita com o Grito de Carnaval do quiosque QuiQui. Entre diversas canções, a roda de samba entoará os versos "sem fake news, sem blá, blá, blá! Já é carnaval, vamos quiquizar !!”, feitos sob medida para a temporada. O acesso à festa é gratuito, no entanto, quem comprar a camisa temática (R$ 50) recebe uma amostra das delícias que saem da cozinha. Tem linguicinha, pastel de feijoada, caipirinha . ..
Se bem que, nem só com caipirinha brindam os cariocas !! Tanto assim que o premiado mixologista Alex Mesquita desenvolveu coquetéis festivos (a partir de R$ 30) para o período no Espaço7zero6. Com uma panorâmica incrível de Ipanema, é possível brindar com o refrescante Cedilla Sour, com o Gin com Amoras e com o Dona Flor, que leva rum, Aperol, limão siciliano, baunilha, carambola e flor comestível. Uma alternativa perfeita para um pós-bloco no bairro. O mais concorrido por ali, o da Banda de Ipanema, leva quase 100 mil pessoas a dançarem a partir da Rua Gomes Carneiro até a Praça General Osório.
Citar um único percurso é quase injusto, visto que o Rio abrigará mais de 500 saídas desse tipo pela cidade inteira. Uma programação intensa que ainda não foi divulgada pela Riotur (Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro S.A.). Se você já estiver pronto para encarar a voluptuosa (e exaustiva !!) experiência, aproveite para encaixar, entre um bloquinho e outro, um clássico para a restauração das forças: a feijoada.

Entre as diversas opções, as realizadas nas quadras de samba precisam ser compradas com antecedência. E, bem, menos do que se deleitar com a comida a ideia é sambar e apoiar a sua escola do coração. Contudo, prepare-se, pois a tentativa de conseguir um ingresso para a feijuca da Mangueira ou da Portela pode ser frustrante . ..

Neste caso, respire fundo e anote a dica : fora do circuito, na Barra da Tijuca, o Pobre Juan serve aos sábados um feijão preto completo, com carne seca, lombo, costela salgada, paio, linguiça fina e calabresa, acompanhado de farofinha na manteiga, arroz branquíssimo, couve à mineira, laranja e torresmo. Uma refeição fartíssima a R$ 159,40 para duas pessoas. Mais uma maneira de carnavalizar na Cidade Maravilhosa.
Ah, e sem perder o ritmo, não esqueça de incluir alguns mergulhos e muita água de coco no plano – as praias durante essa época também sacodem ao som de bom samba !!

Viva esta experiência também no hotel PortoBay Rio de Janeiro !!
Gostar Partilhar Subscrever