24 Jan 2020 813
Fernanda Meneguetti Devorável
#carnaval #dicas #eventos

Carnavalize no Rio em 2020!

Aprenda com os cariocas a aproveitar o feriado mais famoso da cidade

Boa parte do ano, os brasileiros só querem fugir do estereótipo "Brasil país do Carnaval”, porém, a cada ano que começa, ele é onipresente: muitos negócios só são fechados após a Quarta-feira de Cinzas, os 543 blocos (agrupamentos populares dos mais variados) invadem as ruas, as feijoadas com samba se tornam programas concorridos e, sim, assistir aos desfiles na Marquês de Sapucaí (nem que seja pela TV) é incontornável.

Falando neles, a primeira escola de samba foi criada no Rio de Janeiro, no final da década de 1920. Era a Deixa Falar, que se tornou a Estácio de Sá. De lá para cá, centenas de escolas surgiram, movimentando o sambódromo carioca e dando vida a um fetiche: assistir tudo de camarote.

O mais lendário, o Camarote da Brahma, exclusivo para poucos e bons convidados, converteu-se no Camarote Nº1, que funciona apenas nos dias do Grupo Especial (domingo e segunda de Carnaval) e no Desfile das Campeãs (no sábado seguinte). Um convitinho não sai por menos de R$ 2.200 para mulheres e R$ 2.700 para os rapazes e pode chegar a R$ 4000. Caro ? Sim, porém, os ingressos esgotam com antecedência. Ou seja, se tiver interesse, pense que o euro nunca valeu tanto por essas terras e não hesite!

foto 3: RioTur . AF Rodrigues
Por sorte, há diversões menos salgadas e igualmente animadas, como os Gritos de Carnaval que impõem a folia gratuitamente. Novidade, nos dias 02 e 09 de fevereiro, a cantora baiana Cláudia Leitte. No dia 16, a colega Preta Gil levará pelo menos meio milhão de pessoas às ruas com seu Bloco da Preta e, no dia 22, é a vez do tradicionalíssimo Cordão da Bola Preta.
Se você já estiver pronto para encarar a voluptuosa (e exaustiva !!) experiência, aproveite para encaixar, entre um bloquinho e outro, um clássico para a restauração das forças: a feijoada. Entre as diversas opções, as realizadas nas quadras de samba precisam ser compradas com antecedência. E, bem, menos do que se deleitar com a comida a ideia é sambar e apoiar a sua escola do coração. Contudo, prepare-se, pois a tentativa de conseguir um ingresso para a feijuca da Mangueira, a campeã do ano passado, ou a da Tia Surica da Portela pode ser frustrante.
Neste caso, respire fundo, pois há boas e tranquilas alternativas, como a do Rubaiyat. Com vista para as pistas do jóquei club, a sofisticada casa de carnes serve um buffet irrepreensível (R$ 105), onde, além da deliciosa receita à base de feijão preto, encontra-se o baby pork da fazenda própria e mais de 20 tipos de acompanhamentos, como farofas, saladas refrescantes, carne seca desfiada com abóbora, couve e mandioca frita. Sem falar nas batidinhas e na longa seleção de sobremesas. 

Foto: SelmyYassuda

Outra maneira de carnavalizar na Cidade Maravilhosa é aderir a uma das festas privadas. São inúmeras e dos mais variados estilos, sempre com gente fantasiada e música rolando a noite toda. O Baile da Orquestra Imperial acontece no dia 27 de janeiro, no Manouche, no Jardim Botânico, e conta com DJs convidados. No Centro, o Baile da Casa Momus ocorre no dia 15, com promessa de uma animada roda de samba. No Morro da Urca, o Grande Baile de Máscaras 2020 tem vez no domingo 23 de fevereiro.
Ah, e sem perder o ritmo, não esqueça de incluir alguns mergulhos e muita água de coco no plano – as praias durante essa época também sacodem ao som de bom samba e muita caipirinha. E, lógico, vale viver esta experiência também no hotel PortoBay Rio de Janeiro !!
Gostar Partilhar Subscrever