Jardins da Madeira e suas flores

"Jardim flutuante” é uma das designações mais comuns da ilha da Madeira. Nome que lhe faz juz, porque aqui as cores e os perfumes das flores podem ser desfrutados ao longo de todo o ano, mesmo quando grande parte do continente europeu está coberto de neve e as baixas temperaturas remetem as plantas a um período de repouso que as inibe de florir.

Assim, a Festa da Flor, que traz ainda mais flores às ruas do Funchal durante uma semana de Primavera, na verdade aqui celebra-se todo o ano.

Em qualquer dia, em qualquer estação, pelos jardins, públicos ou privados, pequenos quintais, nas bermas das ruas, das estradas, na luxuriante natureza, se podem alegrar os olhos com as cores de plantas em flor, originárias dos quatro cantos do planeta.

Por isso escolhemos 15 jardins e 15 flores para esta pequena amostra da riqueza
botânica que pode encontrar aqui no meio do oceano Atlântico.

Parque de Santa Catarina – Erythrina speciosa

No centro da cidade, este deve ser o jardim mais visitado. É um amplo espaço verde que goza de excelentes panorâmicas sobre o porto e a zona oriental do Funchal. Tem uma localização propícia a uma pausa para quem gosta de fazer a pé o percurso entre a zona turística e o centro da cidade.

Diversas espécies de coralinas emprestam o fulgor dos seus tons de fogo um pouco por toda a cidade. Neste parque podem apreciar-se algumas, como esta Coralina-elegante originária do Brasil.

Jardim do Hospício Princesa Dona Maria Amélia – Dombeya wallichii

Basta atravessar a rua para visitar outro belo espaço que quase passa despercebido. O Hospício Princesa Dona Maria Amélia tem um jardim que, embora mais pequeno, reúne uma colecção botânica não menos variada e igualmente digna de visita.

Oriunda da África Oriental e Madagáscar, a Dombeia com os pompons rosados das suas flores pendentes é um espectáculo único no início do ano.

Jardim Municipal – Cassia ferruginea

Em pleno coração da cidade, este jardim é um local privilegiado para conhecer mais algumas espécies únicas ou pouco frequentes noutros jardins da ilha.

Por exemplo, vinda do Brasil, esta Chuva-de-ouro quando em flor é uma árvore com um efeito ornamental notável.

Quinta das Cruzes – Ochna serrulata

Este é um pequeno e bonito jardim que por vezes passa ao lado de quem visita o museu alojado na casa-mãe desta quinta. Fica um pouco acima do centro da cidade, que a partir daqui se oferece em belos panoramas.

A Planta-do-rato-Mickey (da África do Sul) costuma atrair a atenção das crianças em particular, pois após a queda das pétalas amarelas os frutos ficam à vista e quando maduros ficam negros, parecendo as orelhas do famoso rato.

Jardim de Santa Luzia – Holmskioldia tettensis

No início da subida para o Monte, o jardim de Santa Luzia ocupa o espaço deixado pelo antigo engenho de açúcar do Torreão, do qual ficou a chaminé principal e alguma maquinaria.

É essencialmente um jardim de lazer mas aqui também se podem encontrar algumas bonitas flores em arbustos e árvores, como este Chapéu-chinês (ou Chapéu-de-mandarim), que deve o seu nome à forma das suas flores, pois é oriunda da África Tropical.

Quinta Palmeira — Jacaranda mimosifolia

Continuando a subir em direcção ao Monte, a cerca de 200 metros de altitude, encontramos esta quinta tradicional madeirense, que tem uma das mais ricas colecções botânicas do Funchal.

Depois de um período de alguma estagnação, tem vindo a ser recuperado pelos proprietários e reune motivos de sobra para fazer feliz qualquer amante de flores.

Apesar de aqui se encontrarem muitas espécies únicas, escolhi o mais vulgar Jacarandá (da Argentina e Bolívia) por ser uma árvore emblemática da cidade, decorando com os tons fortes de lilás as suas ruas principais nesta altura do ano. Com o amarelo das Tipuanas compõe as cores que decoram a bandeira do Município.

Parque Leite Monteiro (Monte) - Magnolia x soulangeana

Já acima dos 500 metros de altitude, influenciado por um clima mais húmido e menos quente, o Monte tem entre outros motivos de interesse para os visitantes o Parque Municipal, que aproveita a inclinação natural do relevo para criar um espaço extremamente agradável para desfrutar as flores que aqui se encontram ao longo do ano.

Que se inicia com o espectáculo de algumas espécies de Magnólia, como este híbrido criado para jardins a partir de duas espécies da China, anunciando mais cedo a chegada da Primavera.

Jardim Tropical Monte Palace - Leucospermum cordifolium

Também no Monte, este jardim é considerado um dos ex-libris da cidade em termos florais. Como o parque municipal que lhe é vizinho, aproveita o declive natural do terreno para o seu excelente desempenho ornamental.

Além de uma vasta colecção de plantas vindas das diversas partes do planeta, tem uma área dedicada à flora índigena da Madeira.

Da África do Sul, de onde vem boa parte das habitantes deste jardim, escolhi esta vistosa Almofada-de-alfinetes.

Jardim Botânico Eng. Rui Vieira – Musschia aurea

É actualmente o mais visitado jardim com entradas pagas da ilha, do qual são familiares as imagens com os canteiros de flores dispostos em padrões geométricos.

Mas este jardim tem mais motivos de interesse, com zonas temáticas onde se expõe o seu rico espólio, incluindo as espécies endémicas que preserva para o futuro no seu banco de sementes.

A Múchia-dourada é uma dessas plantas, de campânulas amarelas muito bonitas, que ainda se pode encontrar em taludes secos perto da beira mar na baía do Funchal.

Quinta do Palheiro Ferreiro – Sparrmannia africana

Se visitar a ilha com pouco tempo disponível e não quiser regressar a casa sem ver um jardim, é este que não deve perder. Localiza-se na zona mais alta do leste da cidade, perto do campo de golfe.

Em qualquer altura do ano poderá encontrar aqui muitas espécies em plena floração.

Como esta Esparmânia de flores particularmente vistosas.

Parque do Santo da Serra – Aesculus x carnea

Saindo do Funchal, além da própria natureza sempre presente nos percursos pela ilha, encontram-se mais alguns espaços que merecem uma visita.

Na zona oriental, o Parque Florestal do Santo da Serra tem uma colecção de árvores monumentais que convidam a um agradável passeio a pé.

Na zona central do parque, um grupo de Castanheiros-da-Índia (que apesar do nome são nativos do sudeste da Europa) destaca-se nas alamedas bordejadas por camélias e rododendros.

Parque Florestal do Ribeiro Frio - Isoplexis sceptrum

Para muitos visitantes, Ribeiro Frio é sinónimo de início de percursos a pé por levadas. Ou dos tanques do viveiro de trutas que mais acima atrai a sua curiosidade.

Mas na zona superior do parque encontra-se uma pequena área florestal que num passeio curto e muito agradável permite aos amantes da flora um contacto directo com algumas das espécies autóctones características da floresta Laurissilva.

Os Isóplexis que crescem do outro lado da estrada chamam a atenção para este espaço e dão as boas vindas aos mais curiosos. Mais acima, se reparar nos degraus em cascata que trazem a água gelada até aos tanques e se se atrever a explorar um pouco mais, será recompensado com mais alguns trilhos de rara beleza

Reid’s Palace – Strongylodon macrobotrys

De regresso à cidade, na zona turística a oeste da cidade, algumas unidades hoteleiras têm também jardins notáveis.

O Reid's Palace, um símbolo da tradição turística da ilha, com mais de um século de história, tem um jardim onde se podem encontrar algumas plantas raras na ilha.

Pela sua côr única e rara beleza, destaco aqui a Vinha-de-jade, vinda das Filipinas.

Vila Porto Mare – Grevillea 'Robyn Gordon'

Na zona do Lido, o Vila Porto Mare é um resort do grupo PortoBay que se caracteriza pelo seu jardim de extraordinária riqueza botânica, albergando mais de 500 espécies únicas de plantas.

Num dos seus recantos mais discretos pode encontrar este arbusto, uma Grevílea muito vistosa, com flores de cores exuberantes, parente das árvores de maior porte que nesta altura enchem de tons dourados algumas ruas da cidade (Grevillea robusta).

The Cliff Bay - Delonix regia

The Cliff Bay é outra das unidades hoteleiras do Funchal que possui um jardim de rara beleza, tirando partido das vistas directas da falésia sobre o mar e para o centro da cidade.

Neste jardim escolhi a Acácia-rubra, uma das minhas árvores favoritas, originária de Madagáscar. Um regalo para os olhos de quem toma o pequeno almoço ali mesmo em frente ou se senta a observar o mar sob a sombra da delicada textura das suas folhas, sobretudo quando em pleno Verão se cobrem do extraordinário vermelho das suas flores.
Gostar Partilhar Subscrever