15 Set 2016 1300
Mónica Franco {Jornalista}
#crianças #dicas #diversao #familia #in-kids #lisboa

Lisboa, para meninos e moços

A capital de Portugal é secular mas todos os dias parece mais jovem. É uma cidade para se apreciar com todos os olhos. Para aprender História passeando, para ver o fundo do mar sem navegar, para andar de barco com rodas. Mas é também sítio para comer melancias que são gelados ou almoçar brincando. É o lugar para subir praticamente ao céu. E até planar sobre as águas do rio Tejo. Uma cidade em cheio, para grandes pequenos.

Eis as coordenadas . ..

ESTE

Estar em Lisboa com os mais pequenos e não visitar um dos melhores aquários do mundo, é indesculpável. O Oceanário de Lisboa tem um grande aquário central com cinco milhões de litros de água salgada, quatro habitats marinhos que nos transportam quase literalmente para dentro de um oceano e uma míriade de actividades entusiasmantes, que incluem dormir com os tubarões ou ouvir fado "debaixo de água”. O Oceanário fica no Parque das Nações, por isso há que completar a viagem ao fundo do mar com um "voo” sobre as águas do Tejo. Entre numa das 40 cabines do Teleférico e, durante cerca de 10 minutos, plane nos céus da cidade, a 30 metros de altura.

O Parque José Gomes Ferreira (conhecido também como Mata de Alvalade), com projeto do famoso arquiteto paisagista Gonçalo Ribeiro Telles e brevemente alvo de ampliação com a reabilitação da antiga Quinta do Narigão, situa-se junto ao aeroporto e contempla áreas para piqueniques, parque infantil e a Esplanada da Mata. Pode atirar-se às tostas de tamanho familiar e aos sumos naturais ou simplesmente escolher uma das muitas áreas verdes para estender a toalha e almoçar o farnel. Sempre a ver os aviões passar a rasar.

CENTRO

Visitar o Castelo de São Jorge é incontornável. Primeiro porque é um castelo e guarda histórias de grandes aventuras. Depois, porque é este castelo e tem esta vista...! E agora porque (até setembro) pode descobrir-se este marco histórico de Lisboa e do país fora de horas. Aos sábados à noite, a febre pode ser outra... Um passeio noturno por esta fortaleza do século XI para descoberta, observação e identificação de várias espécies de morcegos com a ajuda de um biólogo e de um detetor de ultrassons.

Para conhecer o mais típico de Lisboa de forma pouco típica, alugue um tuk-tuk e dê uma volta pela cidade velha: Sé, Alfama, Graça, S. Vicente, Mouraria, Martim Moniz e Castelo. Existem muitas empresas a fazer percursos de tuk-tuk pela capital, a Ecotuktours tem a vantagem de ser amiga do ambiente e utilizar apenas veículos eléctricos (levam 6 pessoas, demoram cerca de 90 minutos e custam 75 euros).

O Ascensor da Bica, por seu lado, liga o Chiado/Bairro Alto ao Cais do Sodré desde 1892, através daquela que é provavelmente uma das vielas inclinadas mais cartão-postal da capital. Passeie-se pelas ruas destes dois bairros que casam como poucos a antiguidade com a modernidade, para sentir o pulsar alfacinha, e reponha as energias com um gelado de receita genuinamente italiana (o de chocolate já arrecadou uns prémios...!) na recém-aberta Mu do Príncipe Real ou então no famoso Santini do Chiado para a prova de um clássico português. E quando fizer a descida pelo Ascensor até ao Cais do Sodré, não deixe de explorar o reconvertido Mercado da Ribeira para uns petiscos de autor(es) e para pôr os mais pequenos a aprender. A Academia Time Out organiza, aos fins-de-semana, Masterkids. Imagine ter lá em casa os filhos a preparar pastéis de nata ou  panquecas para o lanche ou a fazer sushi para o jantar !!

OESTE

Veículos. E sobretudo veículos grandes e estranhos. Resulta sempre com as crianças, não resulta?!... Pois então, é entrar numa HIPPOtrip para sucesso garantido. Não, não é um avião, nem um pássaro. É um autocarro, um anfíbio, para passeios turísticos em terra e água. Um autocarro que circula pelas estradas da cidade, mas também um barco que entra pelo Tejo adentro e aproveita o efeito surpresa para dar a conhecer Lisboa de forma inusitada. O ponto de partida e chegada é a Doca de Santo Amaro, em Alcântara. O mesmo lugar com efeito UAU. UAU é o nome da nova fábrica de gelados artesanais, talvez pelo efeito de alguns dos seus 40 gelados de pau, criados em colaboração com o reputado chef pasteleiro Francisco Siopa. Na Doca estará perto de Alcântara e de mais umas atracções sobre-rodas (desta feita, paradas). O Village Underground, o centro cultural alternativo implantado na área do Museu da Carris (já de si uma atracção feita de eléctricos de diferentes períodos), funciona como espaço de escritórios e eventos, com uma arquitectura feita de contentores e autocarros antigos. A cafetaria foi colocada no "andar de cima” de um deles e, aos domingos, está disponível (ao lado) um insuflável para fazer gastar as energias que restem. Se ainda sobrarem algumas, canalize-as para uma sessão no Planetário Calouste Gulbenkian. Dão-se explicações do movimento das estrelas e do sistema solar e organizam-se atividades, mas apreciar as projeções do céu noturno, ali mesmo ao lado do Mosteiro dos Jerónimos, é algo para mais tarde recordar. Definitivamente.

Gostar Comentar Partilhar