24 Jul 2019 439
Sandra Nobre Short Stories
#dicas #experiencias #gastronomia

Lisboa pintada de fresco

Do lixo nasce arte, recuperam-se receitas e o saber fazer dos mestres de ofícios antigos, revisitam-se os clássicos do cinema e da literatura. Por portas e travessas, escadinhas e ruelas, Lisboa reinventa-se a cada esquina.

Livraria da Travessa

"Olha que coisa mais linda/ Mais cheia de graça / (...) Do sol de Ipanema/ O seu balançado é mais que um poema/ É a coisa mais linda que eu já vi passar...” Tal qual Garota de Ipanema, de Tom Jobim, a Livraria da Travessa cheia de graça cruzou o Atlântico, 33 anos depois da abertura da livraria-mãe no Rio de Janeiro, pela mão do seu fundador Rui Campos e partilha a mesma missão: aproximar leitores e livros, juntar autores e ideias. Nas prateleiras, encontra-se Eça de Queiroz, Miguel Torga e António Lobo Antunes, a par de Machado de Assis, Jorge Amado ou Chico Buarque. A aventura literária transatlântica é a primeira fora do Brasil, onde conta nove espaços, com a mesma filosofia de livraria de bairro com curadoria diferenciada e programação cultural. Fica no piso térreo do edifício da emblemática Casa Pau-Brasil, montra de marcas brasileiras no coração de Lisboa, no Príncipe Real.

Rua da Escola Politécnica, 46, Lisboa
Tel. 213 460 553
Aberto todos os dias


Foto: Igor Barbosa

Tinta nos Nervos

Ai, que nervos, tantos desenhos fantásticos! Este é um daqueles espaços inesperados e desafiadores, que nos faz recuperar memórias de infância, quando ainda explorávamos qualquer réstia de talento para desenhar. Aberta desde Junho, no bairro da Madragoa a Santos, apresenta-se como uma livraria-galeria dedicada às várias expressões do desenho, seja a banda desenhada, as artes gráficas ou a ilustração. Tem ainda um aprazível café com esplanada interior que convida a demorar-nos entre livros e catálogos. Na galeria, as exposições são temporárias e os artistas são convidados a deixar uma criação sua no local. Há ainda oficinas e workshops de forma a envolver toda a família. 

Rua da Esperança, 39, Lisboa
Tel. 213 951 179
Fecha domingo e segunda-feira


Foto: Tinta nos Nervos

Carpintarias de São Lázaro

Como uma fénix renascida, no início do ano, as antigas carpintarias de São Lázaro, junto ao Martim Moniz, recuperadas do incêndio que as destruiu no final da década de 90, voltaram a abrir portas. O espaço fabril é agora um pujante centro cultural com cerca de 1800 metros quadrados, três pisos e sete metros de pé direito, dividido entre o espaço expositivo e o auditório com capacidade para 120 pessoas. Uma moderna escada branca em caracol rasga a linguagem arquitectónica dominada pelo betão, deixando o protagonismo para as obras apresentadas. Da janela de grande escala revela-se um miradouro privilegiado para a colina da Senhora do Monte, o bairro da Graça e o Castelo de São Jorge. Com uma programação eclética, entre artes visuais, música, teatro, cinema, dança, moda e gastronomia, pretende também abraçar a comunidade multicultural onde se insere, deixando espaço para outras manifestações artísticas – consultar a programação.

Rua de São Lázaro, 72, Lisboa
Tel. 213 815 891
www.carpintariasdesaolazaro.org


Foto: Vasco Vilhena

Manufactum by FRESS

Quantas vezes sonhamos como aquela peça de museu ficava tão bem na nossa sala? Na Manufactum as peças produzidas nas oficinas da Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva (FRESS) estão lado a lado com criações contemporâneas e podem todas seguir para a morada do cliente. A loja, inaugurada no início de Julho, pretende dar a conhecer ao grande público o trabalho que os artesãos levam a cabo na instituição, desde 1953, seja em conservação e restauro de peças clássicas como na produção de mobiliário e elementos decorativos. As oficinas da Fundação, situadas no mesmo edifício do Museu de Artes Decorativas, no Palácio Azurara, nas Portas do Sol, onde se dá formação na área, são especializadas, entre outras artes, em marcenaria, cinzelagem, latoaria, passamanarias, encadernação ou pintura decorativa. Agora o trabalho artesanal de excelência junta-se à visão de designers contemporâneos e dessa união resultaram edições limitadas de peças assinadas por Filipe Alarcão, Marco Sousa Santos, Sam Baron ou Marre Moerel. Alegram-se os olhos na fantástica colecção, mas também se podem adquirir pequenas peças, seja material de escritório ou acessórios e bijuteria de passamanarias.

Rua do Alecrim, 76, Chiado, Lisboa
Tel. 213 471 887
Fecha domingo

D’Olival Casa

No número 81 da Rua Poiais de São Bento, há uma casa especializada em azeites do casal, Helena e Lino que, no final do ano passado, investiu num segundo espaço dedicado à casa. A loja, que foi em tempos uma peixaria, é toda revestida a mármore, chão, paredes, bancada, agora decorados com produtos artesanais portugueses. Há cerâmicas e tapeçarias, vasos e tábuas de madeira, entre tantos acessórios, com aquele design autêntico que trás consigo os ares do campo para a cidade. Fica mesmo em frente à paragem do eléctrico 28, no sentido Martim Moniz/Graça – Prazeres, o que é uma boa desculpa para fazer a viagem e olhar Lisboa à janela dos turistas.

Rua Poiais de São Bento, 127, Lisboa
Tel. 963 374 811
Fecha ao domingo
www.dolival.pt


Foto: Matilde Almeida Cunha

Lince ibérico do Bordalo II e o Centro Realidade Virtual

Diante da Gare do Oriente um gigante lince ibérico, um dos felinos mais ameaçados do mundo, sai ao caminho do transeunte. A obra, da autoria do street artist Bordalo II, foi inaugurada no final de Junho, no encerramento dos trabalhos da conferência Lisboa +21, pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres. Feita a partir de materiais reutilizados recolhidos do lixo representa o paradigma das consequências da globalização. O autor, Artur Bordalo, conhecido por Bordalo II, ganhou visibilidade com as suas esculturas feitas de lixo e, em 2017, a exposição "Attero”, a primeira em nome próprio, que decorreu em Marvila, onde também tem o seu atelier, recebeu cerca de 27 mil pessoas em menos de um mês. As suas obras estão presentes em colecções particulares, em França, EUA e Japão e tem trabalhado, sobretudo, fora de Portugal, em obras de rua, arte efémera.
Aproveitando a viagem à zona oriental da cidade, porque não ir mais longe? Escalar o Everest, passear na Sétima Avenida de Nova Iorque, estar preso num porão e ter uma hora para fugir antes que rebente a bomba... Calma! É tudo virtual. Os cenários, os escape rooms, os jogos multiplayer que desafiam o raciocínio, a perspicácia e a velocidade, são as atracções do Centro Realidade Virtual, que pode não ser uma novidade fresquinha, mas como nunca ninguém se lembra que existe é como se fosse... Tem propostas para toda a família, individuais ou em grupo.

Encontra a estátua no Jardim do Parque das Nações;
Rua do Mar Vermelho, loja 2C, Parque das Nações, Lisboa
Tel. 928 093 343
Todos os dias, por marcação


"Lince Ibérico" por Bordalo II
Lisboa, 2019
Créditos fotográficos: Miguel Portelinha

Terra Pão

Há lá coisa melhor na vida do que a simplicidade de pão quente com manteiga? Se o pão for amassado como antigamente com massa-mãe (levedura natural), deixando a fermentação acontecer ao seu ritmo e o melhor cereal? O sabor é diferente, mais ácido, mas não demora a que nos habituemos e se torne mais guloso. E se o barrarmos com manteiga quando o comemos ao balcão ainda quente...  A Terra Pão foi a última das padarias artesanais a surgir em Lisboa, um movimento que continua a somar estabelecimentos e adeptos. Vale a pena provar o pão da casa: com trigo branco, barbela do Oeste e centeio integral e espelta integral biológico. Mas também encontra um bom cacete francês ou uma chapata. E, apesar do espaço ser exímio, ao almoço, servem-se refeições na mesa corrida e na esplanada e, petiscos, durante o dia, para aconchegar o estômago entre tantas novidades.

Mercado de Arroios
Rua Ângela Pinto, 40D, Lisboa
Tel. 910 494 446
Fecha segunda e terça-feira

Genuíno – Atelier do Presunto

Vai uma fatia de presunto a acompanhar o pão? Basta atravessar a capital até  Campo de Ourique. O Genuíno é um dos mais recentes espaços e dedica-se à comercialização de presunto de qualidade superior de diferentes tipologias e origens – de Portugal, Espanha, França e Itália. A ideia é provar e apreciar os diferentes sabores, a textura, identificar pela cor, já a arte da cala (identificar a qualidade pelo olfacto) será só para experts na matéria. E melhor do que sozinho, as combinações de presunto com vinhos jovens, espumante ou cava e ao pão juntar azeite ou tomate farão as delícias dos foodies.

Rua Silva Carvalho 52 C, Lisboa
Segunda - Sexta: 12h às 21h
Sábados: 10h às 14h
Encerrado ao domingo

Foto: Paulo Castanheira

O Pai Tirano

Diz o ditado: "o bom filho à casa torna”. E o pai também. Neste caso, voltou à Bica, o mesmo cenário das gravações do filme de António Lopes Ribeiro, de 1941, ao cimo das escadinhas, a caminho do Adamastor. Depois de dois anos de portas fechadas, o bar que se tornou um clássico das noites lisboetas reabriu, em Junho, com nova gerência e a mesma receita: música, tostas e muita conversa.


Travessa das Laranjeiras, 35, Lisboa
Tel. 211 234 567
Fecha segunda e terça-feira

Monkey Mash

Era uma vez um sapo vermelho (Red Frog) que se tornou tão famoso que chegou a ser considerado um dos melhores bares do mundo e, como uma arca de Noé, outros animais juntaram-se nesta aventura. Desde Março, há um macaco a chamar as atenções, o Monkey Mash. Não muito longe do speakeasy, o novo espaço foi beber inspiração a destinos longínquos, como a América do Sul e Central, Ásia e África. A carta resulta numa combinação de bebidas e frutas tropicais, num ambiente tão colorido como descontraído, um oásis na cidade com sabor a férias. Novidade, novidade, por estas paragens, era finalmente o Verão dar o ar da sua graça...

Praça da Alegria, 66A, Lisboa
Tel. 211 364 241
Todos os dias a partir das 18h


Foto: Jorge Simão

Gostar Partilhar Subscrever