10 Jan 2018 685
Sandra Nobre {Jornalista} www.shortstories.pt
#atividades #in-routes&tips #lisboa

Lisboa verde e sem conservantes

Não é preciso entrar em dietas rigorosas ou correr a maratona para se manter saudável. Sem fundamentalismos, basta escolher os alimentos certos e ganhar novos hábitos. Deixamos algumas dicas para reduzir a sua pegada ambiental em Lisboa (é provável que encontre outras de dinossauros, mas isso é outro filme) . ..

Estádio Universitário de Lisboa

Calce os ténis, comece por um aquecimento para preparar os músculos e faça-se à pista. Inaugurado em 1956, o Estádio Universitário de Lisboa (EUL) continua a ser um dos melhores parques desportivos da cidade. A vantagem é que pode usar livremente as pistas dos espaços exteriores ou a pista de atletismo nº2, sem qualquer pagamento. Se preferir ter aconselhamento especializado, à quinta-feira, às 19h, em frente ao Pavilhão nº1, um técnico pode ajudar a enquadrar o treino informal. O mais importante é não esquecer a garrafa de água para se hidratar e inspirar pelo nariz e expirar pela boca durante a corrida. Nos últimos anos, o running tem conquistado adeptos, quer para perder peso, quer para ganhar qualidade de vida através da prática desportiva. Se preferir a natação, o EUL também abre a sua piscina olímpica com 50 metros e profundidade entre os 2 e os 2,20 metros, à utilização livre, mediante um pagamento de 15 euros, que lhe dá também acesso ao balneário. Não se esqueça do fato de banho, touca e chinelos. A temperatura da água é de 28ºC.

Avenida Prof. Egas Moniz, Lisboa
Metro Cidade Universitária (Linha Amarela)
Tel. 210 493 418


The Food Temple

Mais do que um restaurante, este é um ponto de encontro de culturas gastronómicas. Localizado na Mouraria, é um local pequeno e acolhedor construído com espírito comunitário, a começar pelo crowdfunding que o ajudou a abrir portas. No menu surgem iguarias como pão com chouriço, cachupa ou tiramisu vegan. A carta não é extensa mas muda a cada dia, com opções vegan e vegetarianas feitas a partir de produtos biológicos vindos diretamente do produtor e temperada com os sabores étnicos das muitas comunidades que habitam no bairro. Há ainda sumos naturais, cervejas artesanais e vinho biológico. Tem meia dúzia de mesas na esplanada. Para não ficar na fila, é fazer reserva.

Beco do Jasmim, Mouraria, Lisboa
Quarta a domingo, das 19h30 às 23h
Tel. 218 874 397



Ciclovia de Lisboa

E que tal trocar o carro pelas duas rodas e reduzir a sua pegada ecológica? Na capital há cerca de 20 quilómetros de ciclovias em terreno plano, quer em direção a Leste até ao Parque das Nações, quer para Oeste até Belém, ao longo da zona ribeirinha. No percurso, vai encontrar vários parques de bicicletas, onde pode estacionar se pretender fazer alguma visita ou beber um café. Lisboa vai aos poucos habituando-se à presença dos ciclistas nas vias públicas, no entanto, não deve descuidar as atenções, sobretudo: sinalize sempre as suas manobras, mantenha a distância de segurança (um metro de bermas e veículos estacionados), antecipe e evite obstáculos, note que pode haver buracos ou outros perigos na via, fique atento, utilize a campainha para evitar acidentes, mantenha-se visível aos condutores e tenha atenção aos peões. Posto isto, escolha a sua rota e toca a pedalar. Pode recorrer a alguns sites que concentram toda a informação útil para ciclistas, tais como: lisbonbikemap.com/pt/lx-map/ ou lisboaciclavel.cm-lisboa.pt ou a App para iPhone: Horizontal Cities.

Foto: Câmara Municipal de Lisboa


Companhia Portugueza do Chá

Há chás para todos os gostos e para todos os fins medicinais, com a vantagem de ser uma bebida praticamente isenta de calorias. Como em tudo na vida, o segredo é bebê-lo com moderação. Sebastian Filgueiras é um apreciador chás e quando se mudou para Lisboa, em 2000, à falta de uma casa especializada, fez da paixão um negócio. Na Companhia Portugueza do Chá só se vende chá em folhas e os acessórios para melhor o preparar. Tem mais de uma centena de variedades, oriundas do Japão (os seus preferidos), China, Índia e Sri Lanka, mas também da mais antiga plantação de chá da Europa, a Gorreana na ilha de S. Miguel, Açores. Especializado na bebida, prepara também os seus próprios blends. E tal como o vinho, cada chá tem o seu terroir.  Diga-lhe como gosta de beber o seu chá, sozinho ou a acompanhar uma sobremesa e o proprietário dir-lhe-á qual a melhor combinação. E nem precisa esperar pelas cinco da tarde, que ganhou o epíteto da hora do chá, afinal, a bebida vai bem a qualquer hora.

Rua do Poço dos Negros, 105, Lisboa
Tel. 213 951 614
Fecha ao domingo

Parque José Gomes Ferreira – Mata de Alvalade

Não é um daqueles espaços óbvios, na verdade, muitos moradores nem sequer o sabem situar ao ouvir-lhe o nome, mas os adeptos de caminhadas e piqueniques sabem que este é o spot ideal. Quase junto ao Aeroporto de Lisboa, no lugar de antigas quintas, tornou-se um dos pulmões verdes da cidade numa área de 11 hectares. Em 1951, a mata recebeu o projeto urbanístico do mestre da arquitetura paisagística em Portugal, Gonçalo Ribeiro-Telles. Densamente arborizada com vegetação nativa, uma clareira na zona do vale e flora variada, pelas suas característica tornou-se o refúgio de várias espécies de aves. Ao circuito de manutenção, caminhos pedonais, pista ciclável, juntam-se os grelhadores em pedra a convidar ao churrasco com duas zonas de mesas para refeições. Não falta o parque infantil a convidar os mais novos para as brincadeiras e até o cão aqui é bem-vindo. 

Avenida Almirante Gago Coutinho, Alvalade, Lisboa
Sempre aberto

Foto: Câmara Municipal de Lisboa


Mercado Biológico do Príncipe Real

Tornou-se um ritual de fim-de-semana entre os lisboetas ir ao Príncipe Real comprar os produtos biológicos. Às cores viçosas junta-se o cheiro de hortaliças, frutas, ervas aromáticas, flores. Juntam-se ainda os ovos, o pão, os cereais, as compotas, o azeite, o vinho. O que têm em comum é o respeito pela natureza, sendo produzidos segundo os princípios da agricultura biológica – com práticas sustentáveis de impacto positivo no ecossistema agrícola, com recurso a métodos preventivos que tornam os solos mais férteis e promovem a biodiversidade. A iniciativa da autarquia e da Associação Portuguesa de Agricultura Biológica (AGROBIO) começou há mais de uma década e é um ponto de venda dos produtores oriundos de vários pontos do país que trazem à cidade os produtos sazonais. Compre fruta para levar na caminhada seguinte.

Jardim do Príncipe Real, Lisboa
Ao sábado, entre as 9h e as 15h

Foto: Câmara Municipal de Lisboa


Parque das Nações

Desde a EXPO’98, a zona oriental da cidade ganhou nova vida e outros trilhos à medida de caminhadas vagarosas ou a passo de corrida. Numa ode às Descobertas o percurso começa no passeio de Neptuno, segue pelo dos Navegantes que contorna a Marina e o Oceanário, com diferentes tipos de piso do empedrado a o passadiço em madeira, adentra-se no rio, continua pelo passeio das Tágides, que termina junto à Torre Vasco da Gama. Se tiver fôlego para mais, pode manter o ritmo pelo Parque do Tejo, entre o sapal, e do Trancão, já no concelho de Loures. O amanhecer e o pôr-do-sol são as alturas do dia mais concorridas pelos desportistas, mesmo os ocasionais. A zona pede um corta vento para se proteger e faça-se acompanhar do telemóvel para registar a luz de Lisboa e partilhá-la nas redes sociais.

Parque das Nações, Lisboa
Todos os dias

Spa at PortoBay Liberdade

Desligue o telemóvel, agora é tempo de uma pausa. Vista o roupão, calce os chinelos e entregue-se a uma experiência holística. Pode começar por mergulhar na Vitality Pool, passar alguns minutos  entre a sala de vapor e a sauna ou os duches de experiências. E que tal escolher uma massagem do menu de tratamentos ? Se chegou de viagem, reserve os próximos 85 minutos para o JetLag Cure, um tratamento que atenua o cansaço das horas passadas no avião. Começa com uma inalação de óleo de eucalipto – os óleos essenciais que se utilizam são orgânicos e não testados em animais – para limpar as vias respiratórias, segue-se uma suave esfoliação corporal com uma escova detox para ativar a circulação sanguínea e preparar a pele para os alongamentos e técnicas de massagem revigorantes que lhe vão devolver a energia. Os pontos de pressão ao longo da coluna vertebral vão funcionar como desbloqueador para estimular a circulação e eliminar as toxinas. Ocorre-lhe algo mais saudável? E este é somente um dos melhores spas distinguido por dois anos consecutivos no World Luxury Spa Awards, este ano venceu a categoria de Best Luxury Hotel Spa. Há pausas que podiam prolongar-se . ..

PortoBay Liberdade
Rua Rosa Araújo, 8, Lisboa
Tel. 210 015 740
Todos os dias

Bistrô4 e Trato 32

Os restaurantes dos hotéis PortoBay vão ao encontro de todas as exigências dos seus clientes, por isso, na carta há sempre opções vegetarianas para aqueles que também não incluem peixe na sua dieta. No Bistrô4, do requintado PortoBay Liberdade, pode saborear um delicado Ravioli Du Dauphiné AOC Royans de queijo com creme de cogumelos ou um  Quinoto com espargos, alcachofras e tofu crocante. Se lhe apetecer algo diferente, fale com o chefe de sala e, por certo, o chef João Espírito Santo irá preparar algo a seu gosto. No vizinho PortoBay Marquês, o Trato32 propõe um ambiente mais simples e informal, com sabores italianos. Delicie-se com uma Lasanha de Legumes com cogumelos, beringela, tomate e azeitona. Fecha para almoço aos fins-de-semana.

PortoBay Liberdade e PortoBay Marquês
Todos os dias

Estufa Fria

Aqui chegado, respire fundo e entregue-se à contemplação de uma das mais completas coleções de plantas que pode encontrar na cidade. No final do século XIX havia uma pedreira de basalto no centro da cidade que ficou comprometida com a existência de uma nascente de água. O local tornou-se uma zona de abrigo de plantas delicadas que iriam servir no plano de arborização da Avenida da Liberdade, atrasado por conta da I Grande Guerra. As plantas ganharam raízes e o espaço transformou-se numa Estufa Fria, inaugurada em 1933. Mais tarde, ganhou outras infraestruturas como a Estufa Quente e a Estufa Doce, envidraçadas para acolher plantas que necessitam de mais calor e humidade, com centenas de espécies oriundas de todo o mundo, algumas raras, e o jardim de cactos. Vale a pena o passeio. De vez em quando, páre e escute o som do curso da água, onde nasceram cascatas artificiais que terminam em lagos, adornados com obras de estatuária de artistas portugueses. Desde 2016, está aberto o centro interpretativo com exposições temporárias – até Abril de 2018 há Dinossauros para conhecer na Estufa, um autêntico jurassic world que parece saído do filme de Steven Spielberg.

Parque Eduardo VII, Lisboa
Tel. 213 882 278
Todos os dias, das 9h às 17h
estufafria.cm-lisboa.pt

Foto: Câmara Municipal de Lisboa





Gostar Partilhar Subscrever