27 Ago 2015 8185
PortoBay Hotels & Resorts
#atividades #aventura #cultura #madeira #momentos

Nascer do Sol no Pico Ruivo

Uma hora é a duração da caminhada entre a Achada do Teixeira e o Pico Ruivo. Um percurso feito de madrugada, à luz de lanternas. Lá em cima, no cume da ilha da Madeira (a terceira montanha mais alta de Portugal), espera-nos um espectáculo imperdível: o nascer do sol !! Vale a pena o esforço !!

São 05h15 e chegámos à Achada do Teixeira. O "pickup” no hotel fez-se cerca de uma hora mais cedo. O entusiasmo era mais que suficiente para derrubar o sono que ainda pregou algumas partidas na subida de carro desde o Funchal até Santana.

Tudo a postos! É tempo de fechar o casaco, ajeitar as calças confortáveis e as botas de montanha. Aproveito para digerir uma banana e aprumar a lanterna. Temos quase uma hora pela frente até chegar ao miradouro do Pico Ruivo, o pico mais alto da ilha da Madeira, a 1862 metros de altitude. É a terceira montanha mais alta de Portugal. 


A subida ao paraíso

A adrenalina desperta com a escassa luz, os passos e a respiração no silêncio da madrugada e imensidão da natureza que nos circunda. O grupo começa a dispersar na subida, dando lugar à melhor ou pior condição física. No caminho, uma sueca exclama afogueada: "Onde vivo, a montanha mais alta tem 100 metros!”, num visível misto entre entusiasmo e frustração. A claridade começa muito timidamente a aparecer . .. "Vá! São apenas mais 200 metros”, ouve-se.


Mais perto do céu

Chegámos! 06h58. O espetáculo é mágico. Estamos acima das nuvens e a força da natureza mostra todo o seu esplendor. Os tons vermelhos e violetas rasgam o azul do céu e refletem-se sobre o manto de nuvens lá em baixo. Aos poucos, o forro verde das montanhas começa a ser descoberto.

O vento fresco de junho enfatiza a sensação de 360 graus perante uma vista de cortar a respiração: Paul da Serra, Pico do Areeiro, Curral das Freiras, Santo da Serra, Ponta de São Lourenço, ali mais perto. Ao longe, em certos dias, podem-se avistar as ilhas Desertas e até o Porto Santo. 

As máquinas fotográficas e os "smartphones” capturam freneticamente o momento, com muitas "selfies” à mistura, pois desfrutar e alongar este momento é uma tentação. O conforto do pequeno-almoço naquele cenário foi a cereja no topo do bolo. O café quente para amenizar a brisa fresca e o bolo família a contribuir com um sabor forte, como ali pede. 

A descida à terra

De volta, já com a luz do dia em força, é o esplendor da vegetação que na subida era sombra, que nos aquece a alma. Ali, tão perto do céu, as montanhas estão coberta de urze e vegetação rala, com fetos e musgos a despontar das fendas rochosas. Para compor, a beleza das famílias de massarocos roxos aqui e acolá. Isto tudo sobre intenso e brilhante mar de nuvens.

Àquela hora, o chilrear distrai-me. Será certamente um melro-preto, um tentilhão-da-madeira ou o bis-bis, algumas das espécies que fazem o seu habitat por ali.

Experiências na Madeira

Este passeio foi feito durante o evento PortoBay Atlantic Experience que decorreu durante o mês de junho. O programa contemplou um conjunto de atividades como safaris de jipe, workshops sobre espécies marinhas da ilha, jantares temáticos, passeios de barco e a experiência de ver o nascer do sol no ponto mais alto da ilha. 

Para além disso, ao longo do ano são organizados vários passeios como este pela Nature Meetings, parceiro PortoBay Prestige Club.

Gostar Partilhar Subscrever