18 Ago 2017 1731
#dicas #lisboa #memorias

O melhor de . ..

Inaugurámos uma nova rubrica no blog  !! Em "O melhor de . ..” vai ficar a conhecer os destinos onde PortoBay está presente com a ajuda da nossa equipa.
Esta semana, fique a conhecer um pouco mais de Lisboa, a capital portuguesa, pelos olhos de António Trindade, Presidente & CEO PortoBay Hotels & Resorts.
Esteja atento, teremos mais novidades de outras paragens.

Como eu gosto de Lisboa!

Olhando para trás no tempo, vêm-me à memória os meus primeiros contatos com esta cidade, em ambiente de fim de férias, com os meus pais e irmãos.

A minha mãe, súbdita belga, não prescindia das suas visitas anuais ao seu país, assim como o meu pai não abdicava de uma semana em Paris, cidade com a qual mantinha uma relação de profunda cumplicidade, dada a oferta cultural e o número de amigos aí residentes. Foi assim que, desde muito jovem, me habituei a embarcar em navios, ingleses ou franceses, que partiam da ilha da Madeira para Southampton ou Le Havre e daí rumar a Bruxelas e depois Paris. O regresso fazia-se sistematicamente com o Sud-Express. Passadas 26 horas de comboio, lá chegávamos a Lisboa. E desse tempo não tenho as melhores memórias da nossa capital, pois apesar de estar junto ao mar e dotada desse estuário magnífico do rio Tejo, não fazia deles grande uso.

Aí fiz a minha formação universitária, mas ainda nesse tempo Lisboa virava-se para o interior, sem tirar grandes proveitos da sua localização geográfica. Mas a luz, as zonas históricas, os bairros típicos, a monumentalidade, os museus, esses já existiam e começavam a dar os seus primeiros passos na apresentação das suas "mais-valias”.

Com a Expo 98 e com abertura progressiva de novas acessibilidades aéreas, Lisboa percebe que, virando-se para o Tejo e para o mar, ganha uma dimensão e um charme, que a faz crescer e assumir uma competitividade própria de um destino urbano de excelência, digno no topo do ranking das melhores cidades europeias, para visitar e viver.

Foi com a abertura dos nossos hotéis PortoBay, Liberdade e Marquês, que tomei consciência de algo que é um atributo muito pouco comum noutras capitais. Normalmente as cidades afirmam-se pelos diferentes "polos de desenvolvimento” separados geograficamente e impossíveis de ligação pedonal. Mas o desenvolvimento das zonas de lazer em Lisboa, tem sido conseguido de uma forma mais abrangente.

A par dessas áreas diferenciadas, onde destacaria as zonas de Belém, da Expo, de Alfama, por exemplo, há um novo eixo pedonal (para quem se hospede nos nossos hotéis) que faz com que, em ambiente de oferta sucessiva de atrações, se dê por muito bem passadas algumas horas de passeio. Começando no Largo do Rato, percorrendo o Príncipe Real, visitando o Bairro Alto e o Chiado, descendo para o Cais do Sodré, parando na Ribeira das Naus, ou Terreiro do Paço, passando pela Rua Augusta, olhando para o Rossio e os Restauradores e subindo finalmente uma das avenidas mais largas e interessantes da Europa – a Avenida da Liberdade, se chegue finalmente ao ponto de saída, um Hotel PortoBay, onde tudo fazemos para que uma estadia seja sempre única e memorável.

Mas, Lisboa não é só isso.  É a luz diferenciada, é a forma agradável com que recebemos quem nos visita, é a sua monumentalidade, resultado de uma história rica de muitos séculos, é a sua gastronomia, é o seu "dolce fare niente” tão presente nos seus bares e bodegas de esquina, é o seu comércio, são as suas sete colinas, são os elétricos "retro”, são os muitos eventos culturais, são…. o que acontece numa cidade onde "acontecem muitas coisas”.

É também por isso…. que eu gosto tanto de Lisboa!

Gostar Partilhar Subscrever